Quinta-feira, 24 de Agosto de 2006

Caso Real - Uma questão de cor

Uma questão de cor

''Raúl era p rapaz da minha vida até ao dia em que a sua família decidiu fazer-lhe uma lavagem ao cérebro com ideias racistas. A COR DA MINHA PELE deixou de ser algo exótico para se tornar a razão para o fim do nosso namoro....

 

Até há alguns meses atrás, nunca tinha experimentado o sentimento da rejeição. A cor da minha pele fez com que descobrisse o seu significado. Vou contar-te a minha historia para que percebas que o racismo ainda existe e que faz parte do nosso dia-a-dia.

 

Chegada triunfal

 

A vida no Congo, o meu país de origem, estava a tornar-se cada vez mais perigosa e o meu pais decidiu que tinha chegado a hora de tentar a sorte noutro sitio. Fez as malas e veio para Portugal sozinho. Três meses depois, eu, a minha mãe e os meus irmãos viemos ter com ele. No início, foi um pouco duro, principalmente por causa da questão da língua, mas, aos poucos, lá nos ambientámos. Não demorou muito até conhecer o Raúl, um rapaz que vivia no prédio ao lado do meu e que demonstrou interesse por mm. Foi tudo muito rápido. Lembro-me que, quando começámos a sair, eu ainda não falava muito bem português. Uma semana depois do início do namoro, ele disse-me que estava apaixonado e que via futuro na nossa relação. Senti-me uma rapariga cheia de sorte.

 

Duas ALMAS GÉMEAS

 

Com o tempo, aprendi a falar correctamente português e comecei a sentir-me cada vez mais integrada. Além de ser o meu namorado, Raúl, era também o meu melhor amigo. Conversávamos sobre tudo e adorávamos trocar experiências: eu contava-lhe coisas sobre o meu país e ele ensinava-me tudo sobre os costumes portugueses. Íamos juntos para todo o lado. Nunca nos faltaram ideias e chegámos a planear uma viagem á minha terra. Quase não havia tempo para nos chatearmos e cada dia que passava sentíamo-nos melhor ao lado um do outro.

 

A família SEPAROU-NOS

 

Seis meses depois de começarmos a sair, Raúl convidou-me para ir jantar a casa dele. Já tinha ido lá várias vezes, mas sempre na ausência dos pais e do irmão. Não quis conhecê-los antes porque tinha um pouco de vergonha de não falar a língua convenientemente. Agora sei que o maior problema não foi o meu sotaque, mas a cor da minha pele. Raúl não lhes disse que eu era de origem africana e percebi imediatamente que isso era o grande problema. A expressão dos seus rostos alterou-se quando olharam para mim. Recordo os olhares deles e os longos minutos de silêncio. No final da refeição, o pai do Raúl levantou-se da mesa e pediu-lhe que fosse com ele até ao quarto. Na sala onde eu estava consegui ouvir algumas frases soltas “não me importo que os negros, os chineses ou os árabes venham para o nosso país em busca de melhor vida, mas não aceito que se metam nas nossas casas” ou  “não estou a dizer que  ela é má rapariga, mas tu mereces melhor” e outras coisas deste estilo que prefiro nem recordar. Dada a situação terrível, levantei-me, despedi-me educadamente de todos e sai. No dia seguinte, combinei encontrar-me com o Raúl para falarmos sobre o assunto. Ele estava muito distante. Tentei conversar de forma civilizada e com calma, mas acabamos por discutir. Apresentou argumentos contra tudo aquilo que eu disse e chegou a insultar-me. Três dias depois, telefonou-me para dizer que estava tudo acabado. A explicação que me deu foi que já não sentia nada por mim. A nossa relação de seis meses ficou reduzida a cumprimentos de circunstância sempre  que nos encontrávamos na rua. Pergunto-me muitas vezes o que lhe terão dito em casa que fizesse com que ele deixasse de me amar para passar a ignorar-me desta maneira. Sinceramente, o meu maior desejo é nunca mais voltar a enfrentar uma situação destas. Enfim...''

By: Revista "Louca magazine"

O que achas-te desta história? Sensibilizou-te? Deixa a tua opinião!

publicado por ad0lescenci4 às 17:52
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De *d@niel@* a 24 de Agosto de 2006 às 22:45
ola! keria agradecer por me terem ajudado a meter enquetes no blog...muito obrigada...ja m tinham explicado mas n percebi mt bem...voces fizeram-me entender melhor...Bigada! E agora k ja tenho enquete kero k vocês vão ao meu blog-morangoglace votar!...loool se kiserem claro agradecia...esta n fim da barra lateral direita! Nao se eskeçam d votar a partir d hoje a vossa opinião e sempre bem vinda! Beijokas para as 2 e parabens pelo blog
De *d@niel@* a 24 de Agosto de 2006 às 23:13
ja n tenh enquete no blog por causa daquela duvida k disse num comentario mais a baixo se voces m chegarem a explicar eu ponho...so digon isto pork vos tinha pedido para ir la...lol Jokinhas
De al a 25 de Agosto de 2006 às 10:40
Claruh k sim! Koitada....
Bjs al
De Dona do Site Jessica Kitty Fans a 25 de Agosto de 2006 às 13:41
Apoio este blog é muito bom !Passa no meu.
De marianna ♪ a 4 de Setembro de 2006 às 11:47
Eu acho que o rapaz não devia ter acabado com ela só porque ela é de cor... Às vezes as pessoas de cor até são mais simpáticas do que as pessoas brancas. Bem não interessa acho que a rapariga deve seguir o seu caminho e encontrar um novo amor... Joca pa ti.

Comentar post

¨mais sobre nós

¨pesquisar

¨Outubro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

¨posts recentes

¨ Pedido de desculpas!

¨ Divulgação

¨ Violência Sexual

¨ Somos nota 3

¨ SIDA - Como se transmite

¨ Sim, sou seropositiva...

¨ Sida - Um pouco de histór...

¨ Sida

¨ Bulimia Nervosa

¨ Caso Real - Uma questão d...

¨arquivos

¨ Outubro 2006

¨ Setembro 2006

¨ Agosto 2006

¨tags

¨ anorexia nervosa

¨ bulimia nervosa

¨ caso real

¨ caso real - namoro na net

¨ caso real - sem arrependimento

¨ Caso Real - Uma questão de cor

¨ divulgação

¨ Gravidez na adolescência

¨ Início

¨ mitos sobre drogas

¨ todas as tags

¨links

¨Deixa aqui as tuas duvidas, nós ajudamos-te!

Caixa Postal

¨Como se aplica o persevativo masculino:


RockYou slideshow | View | Add Favorite
Adolescência
Qual destes casos te impressiona mais?
Anorexia
Bulimia
Drogas
Gravidez na Adolescência
Toxicodependência
Violação
Sida

¨Drogas

¨Métodos Contrapcetivos


blogs SAPO

¨subscrever feeds